Conecte-se agora
acesse vila rica

CULTURA

SUGESTÃO39: Fim de Ano Especial em Cunha é imperdível

Publicado

em

Descobrir não estarmos ficando velhos é a receita mais fácil de ser utilizada para, realmente, não nos sentirmos arcados pelo peso da idade

Aliás, minha amiga Ana Luna, vocalista do grupo Menospausa, de SP, sempre dizia ser importante “botarmos vida em nossa idade e não idade em nossa vida”…

Vai daí, vale a pena preparar um tempo de mais conforto para as alegrias plenas de saída de ano e chegada de ano.

Não tem essa de dizer que perdeu o encantamento celebrar um tempo novo e o final do tempo velho. Um só existirá se o outro deixar de existir e isso é inevitável! Cada porção de 12 meses, a contar de 01 janeiro, se transforma em história vista, vivida, contada e cantada após o 31 de dezembro da mesma porção.

Então, por isso e por tudo, não há desculpa nenhuma de você não juntar família e amigos, ou mesmo aparentemente só, pegar uma condução e subir até Cunha, a aprazível Estância Climática que tem o dom de ser criativa o tempo todo. Eita povo “bão” de criar eventos! A cidade é festa, de janeiro a dezembro.

Prova disso é o Fim de Ano Especial, idealizado para acontecer no palco de quase todos muitos eventos da simpática Cunha: a Praça da Matriz.

A Secretaria de Cultura e Turismo anuncia para as duas últimas semanas do ano, esse “Fim de Ano Especial”, embalado por música boa, de diversos estilos. Vejam:

DIA 22 DE DEZEMBRO – Valorizando as tradições e contemplando a todos quantos, de uma forma ou de outra dão sua contribuição para a música de banda existir na cidade, a União Cunhense abre a programação em grande estilo. A União é a “jóia” da cidade e tem um repertório de muito bom gosto. Metais na praça, logo de cara!

DIA 23 – A música instrumental clássica tem seu momento solene com o Quarteto Prestíssimo, formado por profissionais de altíssima competência e acurada sensibilidade musical, com passagem por formações orquestrais como o Projeto de Educação Musical do Santuário de Aparecida, o que já é uma esplêndida referência. O público poderá apreciar peças executadas com talento e bom gosto.

DIA 28 – Experimentem juntar, no mesmo palco, 3 talentosos rapazes, cada um em sua praia de roqueiro, tocando o melhor do pop rock! Cunha vai curtir os carinhas de Lorena que juntaram baixo, batera, guitarra (e voz) para aspergirem, nos ares serranos, a musicalidade da Água de Mina, banda que faz a trilha sonora do terceiro dia de shows de final de ano.

DIA 29 – Logicamente, a nossa MPB não ficaria de fora! Ela chega com um pessoal bem animado e preparado, conhecedor dos caminhos e canções exatos para fazer Cunha cantar as mais apreciadas páginas do cancioneiro nacional. Peleco e Banda pegam estrada e aportam na Praça da Matriz no dia 29, fazendo um “pré-esquenta” para a virada de tempo em busca de tempos novos.

DIA 30 – Se por um lado a MPB foi contemplada pela organização, nada mais justo e indispensável, também, a presença de muito Samba e Pagode. Logicamente, quando os artistas são daqueles que trazem o ritmo no sangue, o público “leva” no gogó o que o cardápio do grupo apresenta. Isso vai ser comprovado com a presença do Batuke Geral, um dos bons grupos que movimentam a cena do Samba e Pagode pela Região. Com grande sucesso, necessário se faz destacar! Aí, quando 2018 já começa a juntar os panos, fazer as malas e começar as despedidas, precisa ter música boa para o “bota fora”. André Moraes soma, com o Batuke Geral, o elenco do dia 30, em Cunha. O Fim de Ano Especial vai ter, com toda certeza, o espaço nobre para a música Sertaneja. André Moraes dá conta do recado e mostra, pra todo mundo, porque é uma das gratas presenças no cenário musical escolhido.

DIA 31 – Clima de baile na Praça da Matriz! Isso mesmo, Réveillon popular, de boa qualidade, com uma consagrada banda, bastante requisitada para grandes eventos nos quais a música se faz indispensável. O Réveillon em Cunha vai ser de graça, no chamado “zero oitocentos”, “na faixa”, com a Vitrine Mais Banda Show.

O ano velho pode até não gostar muito de ir embora, mas vai ao som de boa música, a mesma que vai anunciar 2019 como o melhor ano ainda não vivido por todos os brasileiros.

De quebra

Para quem pensa que só música não enche barriga, ou para quem gosta de apreciar o que é bom, saboreando o que é bom, vai funcionar, no local do evento, uma bem montada Praça de Alimentação com a tradicional culinária cunhense. Aposto que não vai faltar por lá a porção de pinhão com linguiça calabresa e rodelas de cebola. Só para fazer água na boca.

Fim de Ano Especial? Cunha tem e garante espaço para quem quiser aproveitar.

Visite o site da Cunhatur e conheça as opções de hospedagem, alimentação e passeios. Sim, pois durante o dia Cunha continua a ser festa de quem gosta de praticar o bom exercício de comprovar seu bom gosto, apreciando natureza e o melhor do artesanato regional e, depois dos shows, descansar o descanso merecido!

Dicas: Visite o Mercado de Cunha (tem uma lojinha de muitas cachaças!); a Igreja Matriz (em fase de restauração); a Casa do Artesão (com muita coisa para presentear). No sábado, tem Roda de Viola na Praça ao lado da Igreja do Rosário.

Fim de Ano Especial. Cunha, de braços abertos para todos!

FOTOS: Divulgação.

TEXTO: Marcos Ivan, MTb36001 – Canal39.

CULTURA

CULTURA: Importante curso de interpretação para TV e Cinema acontece em SJC

Publicado

em

Alunos em exercício (Foto: Paul Constantinides)

Ministrado pelo ator Raphael Carlos, o curso de Interpretação para TV e Cinema acontecerá a partir deste mês na Escola Teatro Metamorphose.

Formado em Artes Cênicas pela EAD – Escola de Artes Dramáticas da USP-SP, o professor Raphael Carlos ministra neste semestre o curso Interpretação para TV e Cinema na Escola de Teatro Metamorphose, em São José dos Campos. Com experiência em teatro, televisão e cinema, Rapha Carlos participou de montagens teatrais, publicidade e curta-metragens como o premiado “Daisy”.

O Curso de Interpretação para TV e Cinema é continuação da primeira turma formada por Raphael Carlos no segundo semestre do ano passado, que teve sua conclusão em dezembro com uma Mostra de curta-metragens realizada por diversos trabalhos de seus alunos.

(Divulgação)

Utilizando métodos como Método Sanford Meisner de “viver verdadeiramente sob circunstâncias, imaginárias”, o curso possui em seu conteúdo programático atividades como Exercício de interpretação para câmera, Experimento de Cinema através de cenas curtas, Jogos de Cena baseados no métodos de diferentes diretores renomados, Aquecimento e Expressão corporal, Processo da construção da personagem para o cinema, Roteiro e Improvisação.

Raphael Carlos, no destaque, e alunos em exercícios (Divulgação)

Através do Curso de Interpretação para TV e Cinema, teoria e prática se unem em um ambiente descontraído onde é possível trocar experiências, criar novas vivências e descobrir o potencial de cada aluno, tenha este experiência em atuação ou não.

Além disso, o curso dá a oportunidade dos alunos se familiarizarem com equipamentos avançados de televisão e cinema. Como parte da conclusão de curso, os alunos preparam em grupos curta-metragens para colocar em prática todo o aprendizado e iniciar seu portfólio profissional. “O Rapha tem muita experiência e ele passa tudo que sabe, deixando os alunos muito a vontade. Iniciei o curso sem pretensão e quando percebi foi uma descoberta muito grande sobre mim mesma. É muito gratificante.”,  afirmam as alunas Cristiana Menegazzo e Silvia Soares.

Para saber detalhes sobre inscrição e matrícula, acesse:

Instagram: @RAPHAtvcinema | https://www.instagram.com/RAPHAtvcinema/

SERVIÇO:

Curso de Interpretação para TV e Cinema

Quando?

Quartas-feiras das 19h às 22h30

Início do curso: março de 2019

Onde?

Escola de Teatro Metamorphose

Rua José Pedro de Carvalho Filho, 80

Vila Ema – São José dos Campos

Inscrições e mais informações: (11) 99673-5917

(Revoada Assessoria de Comunicação)

Continue Lendo

CULTURA

MÚSICA SACRA: Monsenhor Marco Frisina visita Santuário de Aparecida nesta semana

Publicado

em

Divulgação

Compositor de renome internacional, sacerdote italiano vai apresentar hino escrito por ele em homenagem à Padroeira do Brasil

(Por Victor Hugo Barros) O fundador e diretor do Coro della Diocesi di Roma e maestro da Pontificia Capella Musicale Lateranense, monsenhor Marco Frisina, visita o Santuário Nacional na próxima quinta-feira (21). O religioso, responsável pela composição de músicas e melodias utilizadas nas celebrações presididas pelo Papa, no Vaticano, visita Aparecida (SP) para apresentar uma composição dele dedicada à Nossa Senhora Aparecida. A música será executada durante a missa das 18h, que será presidida pelo sacerdote na Basílica Nacional.

Esta é a primeira vez que o monsenhor italiano visita o Brasil. Entretanto, mesmo em Roma, já ouvia falar sobre o Santuário de Aparecida e a devoção à Padroeira do Brasil, o que o motivou a escrever a letra do “Hino a Nossa Senhora Aparecida”, lançado por ele no último ano.

“O objetivo primeiro da visita ao Santuário é me colocar como peregrino, como devoto de Nossa Senhora Aparecida. Na oportunidade, também gostaria de oferecer à Nossa Senhora Aparecida o hino que compus para ela”, explica o monsenhor.

Faltando poucos dias para a visita ao maior templo mariano do mundo,o sacerdote não esconde sua expectativa. “Estou no Brasil desde o dia oito de março. Tenho vivido momentos de formação, música e oração por onde passei, e, em Aparecida não será diferente. Afinal de contas, o Santuário Nacional é um lugar caro para todos nós, onde está guardada a Imagem de Nossa Senhora Aparecida”, relata.

Além de rezar diante da Imagem e de conhecer a Basílica da Padroeira do Brasil, o sacerdote ainda preside a missa das 18h de quinta-feira. A celebração, que será realizada em italiano e português, contará com a execução de músicas compostas pelo monsenhor, cantadas pelo Coral do Santuário Nacional.

A visita do religioso ao Brasil contempla uma série de congressos, apresentações e celebrações litúrgicas que acontecem desde o dia 08 de março. Além de Aparecida, o sacerdote já passou pelas cidades de São Paulo (SP), Campinas (SP) e Rio de Janeiro (RJ).

(Imprensa Santuário Nacional)

Continue Lendo

CULTURA

MÚSICA: João Carlos Martins estreia Orquestrando o Brasil em Taubaté (contém vídeo)

Publicado

em

João Carlos Martins conversa com o público em Taubaté (Foto: Edna Maischberger, Canal39)

Lembrando Heitor Villa Lobos, com seu desejo de unir o Brasil em forma de coração, por meio da Música, o consagrado pianista e agora maestro João Carlos Martins comandou a estreia da série de concertos dentro do Projeto Orquestrando o Brasil, na última sexta-feira, 08 de março, na cidade de Taubaté, SP.

Apesar do intenso temporal havido horas antes do início do espetáculo, o imponente e bem montado Teatro Sedes recebeu público total, ocupando as 1.400 poltronas e contou, ainda, com muita gente em pé.

Participaram do concerto: a Banda de Concerto da EMA Fêgo Camargo, Banda de Música do Senai, Orquestra Sinfônica Jovem de Taubaté, Coral Juvenil Meninas de Campos do Jordão, Camerata Orfeo, Ópera Studio do Vale, Coral da ACVAP e Coro Contraponto.

Martins apresentou os grupos, os quais foram regidos por seus maestros e, para o grande final, reuniu a todos e regeu três peças: a marcha de John Philip Souza “Stars and stripes forever”, a Cantata 147 de Johann Sebastian Bach “Jesus, Alegria dos homens” e o “Trem das onze “, de Adoniran Barbosa. O bis foi inusitado: algumas notas de “O bife”, executadas ao piano, seu mais fiel parceiro de carreira.

O Projeto Orquestrando o Brasil, conforme o próprio maestro João Carlos Martins informou, conta com mais de 200 orquestras e bandas parceiras, totalizando – já – mais de oito mil músicos e seu objetivo é atingir cinco vezes mais, focando, realmente, “fechar o Brasil em forma de coração, por meio da Música” e homenageando Villa Lobos. Para ele, “será uma forma tornar a música clássica mais democrática, ajudando mais pessoas a se profissionalizarem, ampliando sua sua atuação e conquistando novos públicos”.

Orquestrando o Brasil é fruto do ideal de Martins e conta com parceria da Fundação Banco do Brasil, SESI/SP e FIESP.

Em conversa com a reportagem do Canal39, João Carlos Martins destacou a importância de Taubaté como local de estreia do Orquestrando o Brasil. O maestro afirmou que Taubaté é uma cidade que “cultiva as Artes, cultiva a Cultura e é um orgulho Taubaté ser protagonista do primeiro concerto do Orquestrando o Brasil”. A respeito do ensino da Música nas escolas públicas, o idealizador do Projeto garantiu: “se todos os artistas de ponta, no Brasil, fizerem um trabalho baseado no idealismo, para que a Música esteja nas escolas, e as Artes, você tenha a certeza que o Brasil é um dos países mais musicais do mundo. Eu não tenho a mínima dúvida”.

Saiba mais sobre o Orquestrando o Brasil, clicando aqui

Algumas fotos do evento, com clics de Edna Maischberger e Marcos Ivan, Canal39

Continue Lendo

Em Alta

Hospedado por ServerPro