Conecte-se agora
acesse hawaii

CULTURA

CUNHA: “Festa no céu” vence o Festival Canta Violeiro de Música Caipira Inédita

Publicado

em

(Fotos: Edna Maischberger e Marcos Ivan, Canal39)

A Estância Climática de Cunha, simpática e aconchegante, tem, por tradição, ser uma espécie de “centro nervoso” ou “coração” das manifestações culturais e turísticas, de uma modo geral.

Entra mês, sai mês, muita coisa acontece para a Cultura Popular Brasileira não perder sua identidade.

No último final de semana, combinando com o feriado da Proclamação da República, por exemplo, aconteceu em altíssimo estilo o 6º Festival “Canta Violeiro” de Música Caipira Inédita.

Um desfile de 19 composições, todas avaliadas pelo criterioso corpo de jurados, formado por profissionais da música e conhecedores das tradições caipiras, foi a atração para cunhenses e turistas “lá pelas bandas das serras” (Bocaina, do Mar e Quebra Cangalha).

Idealizado pela Associação Viola Caipira Violeiros de Cunha, que já realiza o projeto Violas na Praça, o Canta Violeiro vem, há seis anos, promovendo a divulgação e a importância da preservação da nossa música brasileira raiz, a Música Caipira, por excelência.

01 – Lenir Boldrin, coordenador musical do programa Sr. Brasil (jurado); 02 – Emerson Thomas, maestro e professor de viola caipira nas oficinas culturais do Estado de São Paulo (jurado); 03 – Arnaldo Freitas, vencedor do prêmio Melhor Instrumentista de Viola do Festival da Viola (jurado); 04 – Maria Cristina Paniza, coordenadora do Festival e presidente da Associação Viola Caipira Violeiros de Cunha; 05 -Jamil Scatena, percussionista, assessor do gabinete do Secretário da Cultura do Estado de São Paulo (jurado); 06 – Celso Silva, professor de violão, viola e cavaquinho, canto e teoria musical (jurado) (Fotos: Edna Maischberger, Canal39)

Com o passar do tempo, o Projeto “Canta Violeiro” se consolida e ganha espaços/conceitos junto às comunidades musicais em grande parte do território nacional. Basta verificar as localidades representadas na edição de 2018.

Atualmente o Festival “Canta Violeiro” de Música Caipira Inédita de Cunha traz, em suas referências, a realização do Governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria de Cultura; correalização da Associação Viola Caipira Violeiros de Cunha e Prefeitura da Estância Climática de Cunha, com produção da APAA – Associação Paulista dos Amigos da Arte.

As 19 obras concorrentes se apresentaram, por ordem de sorteio, nos dias 15 (10 inscritos) e 16 (9 inscritos) de novembro, de cujos resultados da avaliação feita pelos jurados surgiu a lista de dez finalistas, que voltaram ao palco para a disputa final.

Premiação

Após as apresentações da noite final do “Canta Violeiro”, o corpo de jurados definiu a premiação para as seguintes composições concorrentes:

06 – Aclamação Popular: “Boas lembranças” interpretada por seu autor, Jorge Faustino, de Lagoinha (SP), que recebeu troféu das mãos de Emerson Thomas + prêmio em espécie no valor de R$ 500. 05 – Melhor Música Caipira de Cunha – “Minha história”, de Francisco Benedito Sales, defendida por Pacheco e Chiquinho – troféu entregue por Arnaldo Freitas, mais R$ 500; 04 – Melhor Interpretação: Carlos Viola e Paraná, com a música “História de um doutor” (Carlos Antunes Pereira), Conceição dos Ouros, MG – troféu entregue por Tarcísio Manuvéi, prêmio de R$ 500;  03 – 3º Lugar – “Fivela de alpaca” (Marcos Cândido “Violeiro” Leal), Monte Sião, MG – defendida por Evaldo Carvalho e Jaqueline – troféu entregue por Lenir Boldrin+ R$ 1.500; 02 – 2º Lugar – “Viola de aroeira” (Luiz Carlos Silva Lima), Uberlândia, MG – com Bruno e Felipe – troféu recebido das mãos do secretário de Turismo e Cultura de Cunha, Marcelo Henrique Veras + R$ 2.500;  01 – 1º Lugar – “Festa no céu” (Rafael Henrique e Gustavo Neto), Campo Grande, MS – com Os Dois Violeiros – troféu entregue por Jamil Scatena, representando a Secretaria de Estado da Cultura + R$ 4.000 (Fotos: Marcos Ivan e Edna Maischberger, Canal39)

Objetivos alcançados

Para Maria Cristina Paniza, dedicada organizadora, com uma equipe de colaboradores voluntários, o “Canta Violeiro” atingiu, mais uma vez, os seus principais objetivos, implícitos no Regulamento Oficial.

“Nós, mais uma vez, só temos que manifestar nossa gratidão. Primeiro a Deus, que nos deu forças, orientação para conseguirmos levar adiante esse projeto que é tão importante para a Música Caipira, de um modo geral. Minha gratidão a todos que, direta e indiretamente, de forma dedicada, se doaram em esforços para o sucesso de nosso Festival”, disse Cristina por ocasião da premiação aos vencedores.

Promover o resgate das tradições musicais, com a divulgação e incentivo à criação e produção de música caipira, estimulando os jovens a terem gosto pelo gênero musical; criar oportunidades para compositores e intérpretes da música cailpira, revelando novos talentos em todo o território brasileiro, possibilitando a maior aproximação e confraternização entre músicos e poetas da região e de outras localidades, definitivamente foram itens contemplados e alcançados em mais essa edição do “Canta Violeiro” . Ao mesmo tempo, e naturalmente, a Estância Climática de Cunha consolida sua identidade de celeiro da Música Caipira, direcionando o interesse popular ao valor e importância da mesma como fonte de cultura e lazer.

Organização modelo

O grande destaque que se pode dar ao Festival “Canta Violeiro” de Música Caipira Inédita, de Cunha, é a organização impecável em todos os seus detalhes.

Desde os cuidados com a elaboração do Regulamento até a Comissão Julgadora, tudo é muito bem pensado e executado, buscando-se oferecer o máximo de boas condições para acontecimento do evento. Veja-se, por exemplo, o fato de o jurado responsável pela avaliação e seleção inicial das obras inscritas não compor o corpo de jurados das eliminatórias e final.

Inovações

O “Canta Violeiro” de 2018 apresentou, em sua estrutura de eventos, duas novidades: aumentou-se em um dia a programação em si (duas eliminatórias, em vez de uma), totalizando 3 dias de música caipira na Praça da Matriz cunhense.

Outra novidade, muito bem pensada, foi a instalação de uma Oficina de Viola, por meio da qual um facilitador, neste caso o experiente produtor musical Tarcísio Manuvéi, ministrou algumas técnicas de postura em palco, interação com a plateia e exemplificou a montagem ideal para um repertório. “Precisa ser um repertório que envolva o público, fazendo-o cantar junto com uma orquestra de viola”. E assim aconteceu. Após 3 dias de troca de experiências e conhecimentos, os músicos de Cunha e de outras localidades, puderam formar uma orquestra de viola para apresentação no show de encerramento do Festival.

Tarcísio Manuvéi, primeiro à direita, durante uma das sessões da Oficina de Violas (Foto: Marcos IVan, Canal39)

Manuvéi, bastante entusiasmado com o aproveitamento dos participantes da Oficina de Viola, disse da importância de a mesma não deixar de acontecer.

Show de Encerramento, com a Orquestra formada durante a Oficina de Violas. (Foto: Edna Maischberger)

Bem te Canto

Ensaiado e regido pela professora Ana Beatriz (sexta posição em pé, da esquerda para a direita, o Coral Bem Te Canto brindou ao público presente à Praça da Matriz momentos antes do início da grande final do “Canta Violeiro”. Destaques do repertório: Berimbau (Baden Powell / Vinícius de Moraes), Pot Pourri de Elpídio dos Santos, Disparada (Geraldo Vandré / Théo de Barros) e uma ciranda de Gabriel Levy. (Foto: Marcos Ivan, Canal39)

Estrutura

Um palco bem montado, inclusive com o cuidado de ter um piso antiderrapante, luz e som ideais da equipe Douglas Som e Luz; decorado com muito esmero pela equipe organizadora elevou, ainda mais, a qualidade do “Canta Violeiro” (Foto: Edna Maischberger)

Garantia

Num cenário brasileiro onde muitos ritmos e gêneros ocupam a maior parte das programações de televisão e rádio, a melhor maneira de divulgar a Música Caipira é, em conjunto com a tecnologia das redes sociais, a realização de tradicionais festivais.

Com a sexta edição do Festival “Canta Violeiro” de Música Caipira Inédita, Cunha consolida, por meio de parcerias bem formatadas e orientadas, sua posição como plena incentivadora e motivadora da preservação, divulgação e ampliação dos conhecimentos da verdadeira música brasileira raiz, proporcionando, como foi possível verificar no certame ocorrido, a renovação dos valores, com a participação de jovens intérpretes, autores e compositores. Pais e filhos, amigos e casais jovens se somaram nas 3 noites do Festival e deram provas de que, por amor à arte e manutenção, até, da história familiar, a Música Caipira será defendida por todos.

Merecem todos os aplausos os concorrentes que dividiram o palco e os aplausos; os profissionais envolvidos na montagem da estrutura de som e luz; os dedicados voluntários que se somaram ao ideal da esforçada Maria Cristina Paniza, presidente da Associação Viola Caipira Violeiros de Cunha.

Destaque-se a inestimável e indispensável contribuição do Governo do Estado de São Paulo, por meio de sua Secretaria de Cultura; Prefeitura da Estância Climática de Cunha, APAA – Associação Paulista dos Amigos da Arte e os parceiros apoiadores: Cunhatur, Amprasp, Rádio Serrana FM, Fernanda Oliveira Design, Escola Carlito Maia e Canal39.

O patrocínio do evento foi de: Usina Araucária, Quebra Cangalha Restaurante, Pousada Vila Rica, Hotel Fazenda São Francisco, Cooperativa de Laticínios Serramar, Veríssima Café e Bistrô, Gastronomia Vila Rica, O Lavandário, Alecrim Dourado Pousada, Latitude Lodge, Tropeira Violões e Violas Artesanais.

Texto: Marcos Ivan, com fotos de Edna Maischberger e Marcos Ivan.

A reportagem do Canal39 hospedou-se, em Cunha, na Pousada Vila Rica e com apoio da Gastronomia Vila Rica. Recomendamos.

Clique aqui para ver mais de 500 fotos

 

 

 

CULTURA

GESTÃO PÚBLICA: São Bernardo do Campo dá incentivo fiscal a produtores culturais

Publicado

em

(Reprodução)

Em sua primeira reunião ordinária de 2019, a Câmara de Vereadores de São Bernardo do Campo teve, em sua Ordem do Dia, oito propostas do Executivo, para serem discutidas e votadas.

Todos os oito projetos foram aprovados e o Canal39 destaca o Projeto de Lei 13/2019, que adicionava o artigo nº 27-A à Lei Municipal nº 6.594/2017, a qual normatiza os atos de concessão de benefícios fiscais no município de São Bernardo do Campo.

Projeto aprovado, por 24 parlamentares, proporciona às empresas que realizarem eventos culturais como apresentações de música, dança, teatro ou cinema, além de desfiles, recitais e outros congêneres a teatros municipais administrados pela Secretaria de Cultura e Juventude, serão beneficiados com redução na alíquota do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN).

O valor a ser pago por essas empresas, ao governo municipal, será de apenas 2%, correspondente ao mínimo estabelecido em legislação federal.

O projeto – que, segundo o Executivo Municipal, funcionará como uma “medida de incentivo à atração de eventos culturais” para a população de São Bernardo do Campo – obteve apoio de 24 vereadores.

(texto: Marcos Ivan, Canal39)

Continue Lendo

CULTURA

CULTURA: Lorena Musical cria projeto para incentivo a novos artistas

Publicado

em

(Reprodução)

Projeto inovador da Secretaria de Cultura e Turismo de Lorena abre espaço para a apresentação de artistas solo, os quais terão a chance de mostrar seu trabalho musical fundamentado em voz e violão.

O projeto “PALCO UM SÓ”, dentro do Lorena Musical, terá apresentação no dia 23 de março, no Mercadão da cidade.

Inscrições gratuitas até dia 15 de março, por e-mail, devendo ser destacado, no assunto, “QUERO TOCAR NO PALCO UM SÓ”.

Os interessados precisam morar em Lorena e devem enviar cópia do RG, nome completo, endereço, telefone para contato e um vídeo de até 3 minutos, com boa qualidade, não necessariamente vídeo profissional.

Podem se inscrever cantores com idade a partir dos 18 anos.

Email para envio: lorenamusical@gmail.com

Uma realização da Prefeitura de Lorena.

Continue Lendo

CULTURA

CULTURA: Silveiras realiza Tropereta com Festival de Marchinhas

Publicado

em

(Divulgação)

Com características bem ao estilo das tradições da cidade, a qual preserva cuidadosamente o chamado “universo caipira, o 3º Festival de Marchinha Caipira dá cores e motivos para se festejar um tempo de Carnaval. As músicas selecionadas, obrigatoriamente terão temática versando sobe o perfil deste mesmo universo.

Segundo texto contido no site oficial do município, “O Festival tem a finalidade de aprimorar e desenvolver a cultura musical, incentivar os compositores, valorizar os adeptos da música, descobrir novos talentos e aumentar o intercâmvio artístico-cultural”.

A Tropereta 2019 acontece em duas etapas:

. dia 15/02, a partir das 20h, com a realização da fase eliminatória e mais um grande show com a Banda Brasil Night Show;

. dia 16/02 – também com iníco às 20h, a grande final, com premiação dos melhores classificados. Em seguida, a espetacular Banda Gostoso Veneno faz o show de encerramento.

O 3º Festival de Marchinha Caipira de Silveiras acontece na Praça da Matriz, com entrada franca.

Premiação:

1º lugar – R$ 1.000 + Troféu

2º lugar – R$ 600 + Troféu

3º lugar – R$ 400 + Troféu

Marchinhas classificadas para o concurso:

Inicialmente seriam 12 composições. Devido à grande procura, houve a seleção com a inclusão de mais 05. Veja a relação abaixo.

Bandas Brasil Night Show e Gostoso Veneno (Reprodução)

 

Continue Lendo

Em Alta

Hospedado por ServerPro