Conecte-se agora
acesse vila rica

CULTURA

CULTURA/EDUCAÇÃO: São José dos Campos divulga eventos

Publicado

em

(Foto: Charles de Moura / PMSJC)

Iniciação musical nas escolas municipais, aniversário da Casa de Cultura Lili Figureira, seleção para o Coro Jovem e “As meninas da porteira” movimentam a cidade sede da RMVale

Música Clássica nas Escolas Municipais

Iniciação na educação musical e formação integral de estudantes são alguns dos objetivos do projeto de educação musical e canto coral nas escolas de ensino municipal de São José dos Campos. O projeto tem como parceiro o Instituto Luzes da Ribalta e irá realizar 16 concertos didáticos nas escolas da cidade nos próximos meses.

Nesta terça-feira (19), os alunos da Emef Emmanuel Antônio dos Santos, no bairro Frei Galvão (região leste), foram os primeiros a receber um concerto didático na escola. Os músicos do Luzes da Ribalta se apresentaram com o coral da unidade escolar para alunos dos anos iniciais, professores e funcionários. Atualmente, a rede de ensino municipal conta com cerca de 20 grupos de coral em 16 unidades escolares.

No repertório, sucessos como “Asa Branca”, de Luiz Gonzaga, “Viva La Vida”, do grupo Coldplay, e a clássica “Con te partiro”, de Andrea Bocelli, agradaram o público. E os versos de “Carinhoso”, do Pixinguinha, trouxeram emoção ao pátio da escola que, durante a tarde, se transformou com a música.

“Este trabalho muda a realidade das crianças, levamos música erudita, que poucos conhecem, para diversos lugares, é uma forma de disseminar cultura. A troca entre o público e os músicos é muito especial, a arte transforma e sentimos isso. O Ribalta significa transformação social para mim, fazemos o melhor pela música e isto muda tudo em volta”, afirmou Christianne Giannelli, diretora cultural do Instituto Luzes da Ribalta.

O Instituto Cultural Luzes da Ribalta, fundado há três anos pelo professor de música Deusdete Guimarães, é uma organização que atende cerca de 35 crianças e adolescentes, entre 6 e 17 anos, no Parque Interlagos, na região sul. A maioria dos participantes do Instituto é aluno da rede municipal de ensino.

Em turmas separadas pelos níveis iniciante e avançado, os estudantes aprendem violino, viola erudita ou violoncelo. Os estudos, aliados às apresentações, alimentam sonhos dos jovens artistas.

“A música é tudo para mim, desde pequena falava que queria aprender a tocar violino, acompanhava apresentações pela televisão, via concertos. E hoje, quando estou tocando sinto uma emoção forte que não dá pra explicar, é uma paixão. Quero tocar em uma grande orquestra, como a de São Paulo, no futuro, estarei realizada”, contou Letícia Viana Caraça, 11 anos, membro do grupo Ribalta.

“A minha filha desde pequenininha sempre gostou de música. Tive a oportunidade de conhecer o Ribalta e ela amou de imediato, participa há três anos, a capacidade dela de concentração e a leitura aumentaram muito. Ela se desenvolve melhor e tem um convívio muito bom com os colegas da orquestra”, disse a mãe de Letícia, Sônia Regina Viana.

Aprendizagem significativa 

A iniciativa da Secretaria de Educação e Cidadania busca o desenvolvimento da percepção e da expressão musical por intermédio da voz, com foco na formação de grupos corais infanto-juvenis da rede de escolas. Os grupos ensaiam no contraturno das aulas.

Para Lucas Sena, do 1º ano da Emef Emmanuel Antônio dos Santos, de 6 anos de idade, cantar no coral é muito maravilhoso. “Para mim, a música é uma arte especial. Sinto alegria quando canto e fico bem, o meu desejo é que todos possam ter aulas de música”, disse o aluno do 6º ano, Nikolas Rian.

E os aprendizados por meio da música despertam também boas emoções nos alunos. A aluna do 1º ano, Maria Vitória de Oliveira, é conhecida por nunca faltar nas aulas e ensaios do coral. “Hoje cantamos aqui e foi muito bom. Quero continuar cantando no coral da escola e fazendo apresentações”, disse.

“Senti só felicidade cantando no coral, achei que nem parecia que passou uma hora, pareceu que eram 15 minutos. A música é praticamente minha vida, canto desde os três anos, e desde os sete toco flauta. Sonho em ser dentista e continuar com a música dando aulas de flauta”, contou emocionada Kelly Vitória, do 6º ano.

Segundo a equipe técnica da Secretaria de Educação e Cidadania, a música contribui para o aprendizado significativo, que fica marcado também por experiências práticas vivenciadas pelos alunos.

(Por Paula Pessoa, Secretaria de Educação e Cidadania /  Foto: Charles de Moura PMSJC)

Seleção para o Coro Jovem

A Fundação Cultural Cassiano Ricardo realiza um novo processo de seleção para o Coro Jovem de São José dos Campos. Os interessados podem se inscrever gratuitamente até o dia 16 de julho, por meio de formulário eletrônico disponível no site da instituição, onde também é possível ter acesso ao edital com todas as exigências.

Podem se inscrever pessoas físicas residentes no município ou na Região Metropolitana do Vale do Paraíba (até o limite de 20% das vagas disponíveis). São 59 vagas oferecidas, sendo 41 para o núcleo iniciante (de 16 a 26 anos), 10 para o núcleo avançado (de 16 a 30 anos) e 8 para o núcleo semiprofissional (de 18 a 34 anos).

(Foto: Paulo Amaral – FCCR)

A seleção dos candidatos inscritos será realizada no dia 20 de julho e o local será informado posteriormente. O primeiro resultado dos classificados será divulgado no dia 25 de julho e o resultado final no dia 3 de agosto, ambos pelo site da Fundação Cultural. O trabalho do novo grupo terá início no dia 10 de agosto.

Os candidatos selecionados receberão, a título de Bolsa Estímulo à Arte e de acordo com o núcleo que participarão, os seguintes valores mensais: iniciante – R$ 120,00, avançado – R$ 150,00 e semiprofissional – R$ 460,00. As aulas e ensaios serão realizados às sextas-feiras, entre 14h e 22h30, e aos sábados, das 9h às 16h.

Projeto cultural

O Coro Jovem é um projeto cultural destinado a jovens, que tem como objetivo a formação musical e a capacitação para a profissionalização artística, além de divulgar o canto coral, incentivar a formação de público e permitir que a população tenha acesso a programas artísticos de qualidade.

O atual grupo, selecionado no ano passado, vem cumprindo uma programação de dez apresentações (de abril a dezembro). Este mês, o coro se apresentará no dia 29 (sexta), às 20h, na Casa de Cultura Flávio Craveiro (Av. Lenin, 200 – Dom Pedro I).

Fundação Cultural Cassiano Ricardo – Av. Olivo Gomes, 100 – Parque da Cidade – Santana – (12) 3924-7300
(Por Avelino Israel – Fundação Cultural Cassiano Ricardo)

Aniversário a Casa de Cultura Lili Figureira

A Fundação Cultural Cassiano Ricardo comemora na próxima sexta-feira (22) e domingo (24) o segundo ano de criação da Casa de Cultura Lili Figureira, localizada no Jardim Santo Onofre, região sudeste de São José dos Campos. O nome atribuído ao espaço é uma homenagem à figureira Maria Benedita dos Santos, falecida em junho de 2015, aos 96 anos.

A programação de aniversário prevê performances e atrações musicais, de palhaços e malabaristas, com artistas que integram o Projeto Arte nas Ruas, da Fundação Cultural. Na sexta, as atividades acontecem a partir das 16h, na própria casa de cultura, e no domingo, a partir das 9h, na feria do bairro São Judas Tadeu, na mesma região.

(Foto: Paulo Amaral- FCCR)

Atividades mensais

A Casa de Cultura oferece 15 oficinas em várias modalidades, além de diferentes vivências de música, cultura popular e teatro, atendendo cerca de 600 pessoas por mês. Também são desenvolvidos no espaço projetos como Quintal das Artes, Biblioteca Viva (com contação de histórias), Espaço Poema, Roda de Viola, além de ações culturais externas em escolas, feira-livre, ruas de lazer e poliesportivo.

Lili Figureira, nascida em Taubaté, era uma das mais conhecidas e tradicionais artistas populares do Vale do Paraíba. Em São José dos Campos, para onde veio ainda pequena, constituiu família e aprendeu a arte de fazer figuras de barro. Saber que passou aos seus filhos. Em 2009 recebeu o título de mestre da cultura.

Casa de Cultura Lili Figureira – Rua Roberto Cruz, 40 – Jardim Santo Onofre – (12) 3942-1005

(Por Avelino Israel – Fundação Cultural Cassiano Ricardo)

 Espetáculo “As meninas da Porteira)
Unir a arte circense à cultura caipira, com apresentações humorísticas e musicais. Esta é a proposta do espetáculo ‘As Meninas da Porteira’, que será apresentado pela Cia da Roça nesta sexta-feira (22), às 19h30, na Casa de Cultura Flávio Craveiro, no bairro Dom Pedro I, região sul de São José dos Campos. A entrada é gratuita e livre para todas as idades.

(Foto: Divulgação)

O espetáculo faz parte dos projetos Sexta Encena e Aqui Tem Circo, da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, e já foi apresentado em diversas cidades da região, tendo participado da 5ª edição do Festival de Circo, em Taquaruçu (TO). A Cia da Roça existe desde 2017.

Com roupas tipicamente caipiras e ao som de viola e violão, as artistas Isadora Rinelle e Danieli Maimoni interpretam as personagens Dita e Polenta, colocando em evidência a comicidade da palhaçaria. “A proposta é mesclar o caipira com o circo, apresentando números de malabarismo e paródias de modões caipiras”, disse Danieli.

Casa de Cultura Flávio Craveiro – Av. Lênin, 200 – Dom Pedro I – (12) 3966-1136)

(Por Avelino Israel – Fundação Cultural Cassiano Ricardo)

(Fonte: Site oficial de SJC)

CULTURA

CULTURA: Importante curso de interpretação para TV e Cinema acontece em SJC

Publicado

em

Alunos em exercício (Foto: Paul Constantinides)

Ministrado pelo ator Raphael Carlos, o curso de Interpretação para TV e Cinema acontecerá a partir deste mês na Escola Teatro Metamorphose.

Formado em Artes Cênicas pela EAD – Escola de Artes Dramáticas da USP-SP, o professor Raphael Carlos ministra neste semestre o curso Interpretação para TV e Cinema na Escola de Teatro Metamorphose, em São José dos Campos. Com experiência em teatro, televisão e cinema, Rapha Carlos participou de montagens teatrais, publicidade e curta-metragens como o premiado “Daisy”.

O Curso de Interpretação para TV e Cinema é continuação da primeira turma formada por Raphael Carlos no segundo semestre do ano passado, que teve sua conclusão em dezembro com uma Mostra de curta-metragens realizada por diversos trabalhos de seus alunos.

(Divulgação)

Utilizando métodos como Método Sanford Meisner de “viver verdadeiramente sob circunstâncias, imaginárias”, o curso possui em seu conteúdo programático atividades como Exercício de interpretação para câmera, Experimento de Cinema através de cenas curtas, Jogos de Cena baseados no métodos de diferentes diretores renomados, Aquecimento e Expressão corporal, Processo da construção da personagem para o cinema, Roteiro e Improvisação.

Raphael Carlos, no destaque, e alunos em exercícios (Divulgação)

Através do Curso de Interpretação para TV e Cinema, teoria e prática se unem em um ambiente descontraído onde é possível trocar experiências, criar novas vivências e descobrir o potencial de cada aluno, tenha este experiência em atuação ou não.

Além disso, o curso dá a oportunidade dos alunos se familiarizarem com equipamentos avançados de televisão e cinema. Como parte da conclusão de curso, os alunos preparam em grupos curta-metragens para colocar em prática todo o aprendizado e iniciar seu portfólio profissional. “O Rapha tem muita experiência e ele passa tudo que sabe, deixando os alunos muito a vontade. Iniciei o curso sem pretensão e quando percebi foi uma descoberta muito grande sobre mim mesma. É muito gratificante.”,  afirmam as alunas Cristiana Menegazzo e Silvia Soares.

Para saber detalhes sobre inscrição e matrícula, acesse:

Instagram: @RAPHAtvcinema | https://www.instagram.com/RAPHAtvcinema/

SERVIÇO:

Curso de Interpretação para TV e Cinema

Quando?

Quartas-feiras das 19h às 22h30

Início do curso: março de 2019

Onde?

Escola de Teatro Metamorphose

Rua José Pedro de Carvalho Filho, 80

Vila Ema – São José dos Campos

Inscrições e mais informações: (11) 99673-5917

(Revoada Assessoria de Comunicação)

Continue Lendo

CULTURA

MÚSICA SACRA: Monsenhor Marco Frisina visita Santuário de Aparecida nesta semana

Publicado

em

Divulgação

Compositor de renome internacional, sacerdote italiano vai apresentar hino escrito por ele em homenagem à Padroeira do Brasil

(Por Victor Hugo Barros) O fundador e diretor do Coro della Diocesi di Roma e maestro da Pontificia Capella Musicale Lateranense, monsenhor Marco Frisina, visita o Santuário Nacional na próxima quinta-feira (21). O religioso, responsável pela composição de músicas e melodias utilizadas nas celebrações presididas pelo Papa, no Vaticano, visita Aparecida (SP) para apresentar uma composição dele dedicada à Nossa Senhora Aparecida. A música será executada durante a missa das 18h, que será presidida pelo sacerdote na Basílica Nacional.

Esta é a primeira vez que o monsenhor italiano visita o Brasil. Entretanto, mesmo em Roma, já ouvia falar sobre o Santuário de Aparecida e a devoção à Padroeira do Brasil, o que o motivou a escrever a letra do “Hino a Nossa Senhora Aparecida”, lançado por ele no último ano.

“O objetivo primeiro da visita ao Santuário é me colocar como peregrino, como devoto de Nossa Senhora Aparecida. Na oportunidade, também gostaria de oferecer à Nossa Senhora Aparecida o hino que compus para ela”, explica o monsenhor.

Faltando poucos dias para a visita ao maior templo mariano do mundo,o sacerdote não esconde sua expectativa. “Estou no Brasil desde o dia oito de março. Tenho vivido momentos de formação, música e oração por onde passei, e, em Aparecida não será diferente. Afinal de contas, o Santuário Nacional é um lugar caro para todos nós, onde está guardada a Imagem de Nossa Senhora Aparecida”, relata.

Além de rezar diante da Imagem e de conhecer a Basílica da Padroeira do Brasil, o sacerdote ainda preside a missa das 18h de quinta-feira. A celebração, que será realizada em italiano e português, contará com a execução de músicas compostas pelo monsenhor, cantadas pelo Coral do Santuário Nacional.

A visita do religioso ao Brasil contempla uma série de congressos, apresentações e celebrações litúrgicas que acontecem desde o dia 08 de março. Além de Aparecida, o sacerdote já passou pelas cidades de São Paulo (SP), Campinas (SP) e Rio de Janeiro (RJ).

(Imprensa Santuário Nacional)

Continue Lendo

CULTURA

MÚSICA: João Carlos Martins estreia Orquestrando o Brasil em Taubaté (contém vídeo)

Publicado

em

João Carlos Martins conversa com o público em Taubaté (Foto: Edna Maischberger, Canal39)

Lembrando Heitor Villa Lobos, com seu desejo de unir o Brasil em forma de coração, por meio da Música, o consagrado pianista e agora maestro João Carlos Martins comandou a estreia da série de concertos dentro do Projeto Orquestrando o Brasil, na última sexta-feira, 08 de março, na cidade de Taubaté, SP.

Apesar do intenso temporal havido horas antes do início do espetáculo, o imponente e bem montado Teatro Sedes recebeu público total, ocupando as 1.400 poltronas e contou, ainda, com muita gente em pé.

Participaram do concerto: a Banda de Concerto da EMA Fêgo Camargo, Banda de Música do Senai, Orquestra Sinfônica Jovem de Taubaté, Coral Juvenil Meninas de Campos do Jordão, Camerata Orfeo, Ópera Studio do Vale, Coral da ACVAP e Coro Contraponto.

Martins apresentou os grupos, os quais foram regidos por seus maestros e, para o grande final, reuniu a todos e regeu três peças: a marcha de John Philip Souza “Stars and stripes forever”, a Cantata 147 de Johann Sebastian Bach “Jesus, Alegria dos homens” e o “Trem das onze “, de Adoniran Barbosa. O bis foi inusitado: algumas notas de “O bife”, executadas ao piano, seu mais fiel parceiro de carreira.

O Projeto Orquestrando o Brasil, conforme o próprio maestro João Carlos Martins informou, conta com mais de 200 orquestras e bandas parceiras, totalizando – já – mais de oito mil músicos e seu objetivo é atingir cinco vezes mais, focando, realmente, “fechar o Brasil em forma de coração, por meio da Música” e homenageando Villa Lobos. Para ele, “será uma forma tornar a música clássica mais democrática, ajudando mais pessoas a se profissionalizarem, ampliando sua sua atuação e conquistando novos públicos”.

Orquestrando o Brasil é fruto do ideal de Martins e conta com parceria da Fundação Banco do Brasil, SESI/SP e FIESP.

Em conversa com a reportagem do Canal39, João Carlos Martins destacou a importância de Taubaté como local de estreia do Orquestrando o Brasil. O maestro afirmou que Taubaté é uma cidade que “cultiva as Artes, cultiva a Cultura e é um orgulho Taubaté ser protagonista do primeiro concerto do Orquestrando o Brasil”. A respeito do ensino da Música nas escolas públicas, o idealizador do Projeto garantiu: “se todos os artistas de ponta, no Brasil, fizerem um trabalho baseado no idealismo, para que a Música esteja nas escolas, e as Artes, você tenha a certeza que o Brasil é um dos países mais musicais do mundo. Eu não tenho a mínima dúvida”.

Saiba mais sobre o Orquestrando o Brasil, clicando aqui

Algumas fotos do evento, com clics de Edna Maischberger e Marcos Ivan, Canal39

Continue Lendo

Em Alta

Hospedado por ServerPro