Conecte-se agora
acesse festival

CULTURA

CULTURA: Bachiana Filarmônica do SESI reúne mais de 7 mil em Caraguá

Publicado

em

(Fotos: Luis Gava / PMC)

Mais de sete mil pessoas assistem a apresentação da Bachiana Filarmônica, sob a regência de João Carlos Martins
Caraguatatuba provou que seu gosto por música é diversificado, lotando a Praça da Cultura para assistir a apresentação da Bachiana Filarmônica Sesi-SP, sob a regência do mundialmente conhecido maestro João Carlos Martins.
Foi aproximadamente uma hora de apresentação de músicas de compositores eruditos como Sebastian Bach, Amadeus Mozart e Piotr Ilitch Tchaikovsky, além de canções populares como Yesterday, do grupo The Beatles e Love of my life, do Queen.
Encantado com o carisma do maestro, o público aplaudiu de pé ao final de cada música executada. João Carlos Martins, bem humorado, agradeceu a presença de todos: “Temos que ter orgulho da diversificação do gosto musical dos brasileiros pois hoje, mesmo sendo o encerramento de uma novela de TV, temos aqui um enorme público que deixou suas casas para ouvir música clássica”.
Na plateia, o público de faixa etária variada aproveitou a noite. Vera Regina Carvalho, moradora do Travessão, chegou cedo pois sabia que a Prefeitura colocaria cadeiras para o conforto do público. “Quis pegar um bom lugar para assistir o espetáculo. Adoro o maestro João Carlos Martins”.
Morador da Martim de Sá, Tuy Victória da Silva, com 83 anos, não economizou esforços para acompanhar a apresentação da Bachiana. “Meu genro me trouxe. Ouvir música clássica me faz relembrar a juventude. É um espetáculo imperdível”.
Mesmo os mais jovens, que nunca assistiram uma orquestra sinfônica, também ficaram maravilhados. Valéria Silvano, de 15 anos, veio acompanhada de sua mãe e de uma tia. “Gostei muito. Fiquei surpresa com a apresentação. Acompanhei minha mãe para agradá-la, mas, no fim, eu gostei tanto quanto ela”.
A Bachiana Filarmônica
Formada por jovens e experientes instrumentistas de diversas idades, sob direção do maestro João Carlos Martins, a Bachiana contribui para a formação de talentos e dissemina a cultura da música erudita por todo o Estado. Em 2009 foi adotada pelo Sesi/SP (Serviço Social da Indústria de São Paulo), formando hoje a maior orquestra da iniciativa privada do Brasil, sem nunca abandonar seus ideais.

Maestro João Carlos Martins
Considerado um dos maiores intérpretes de Johann Sebastian Bach (1685-1750), o maestro João Carlos Martins (1940) atingiu um patamar raramente alcançado por outros músicos brasileiros no século XX. Um dos pontos altos de sua carreira foi a gravação da obra completa para teclado desse gênio da música. Logo após, devido a problemas físicos, teve que abandonar a carreira de pianista, canalizando sua paixão para a regência.
Fundação Bachiana
Sonho de um grupo de músicos e empresários brasileiros, entre eles o maestro e pianista João Carlos Martins, a Fundação Bachiana, entidade sem fins lucrativos e/ou econômicos, foi constituída em 2006, tendo como finalidade apoiar, incentivar, assistir e promover o desenvolvimento de atividades de excelência e referência na formação musical e cultural, especialmente nas artes clássicas e educação musical.
Sua missão é promover, através da música, a democratização cultural, educação musical, inclusão cultural e social, conscientização ambiental, direcionados a todos os segmentos da sociedade. A fundação tem como visão tornar-se um referencial no desenvolvimento de suas atividades, através da música clássica de alta qualidade técnica e artística.
A Fundação Bachiana realiza eventos, cursos, ações educacionais e culturais para adultos, jovens e crianças, abrangendo todas as classes sociais, divulgando, valorizando e democratizando a música clássica.

(Márcia de Paula, jornalismo / Fotos: Luis Gava, PMC)

Jornalista, Publicitário, Bacharel em Comunicação Social pela Universidade de Taubaté. Radialista com passagens pelas emissoras Globo e Capital 1040-AM de São Paulo, TV Setorial (Pindamonhangaba), Rede Difusora de Rádio, Rede Bandeirantes de Rádio. Escritor, autor de "Mergulho, uma proposta de ajuda" (Editora Ave Maria-SP) Produtor artístico, coordenador de eventos. Diretor proprietário da empresa Marcos Ivan de Carvalho ME Diretor do site www.canal39.com.br e da web radio www.radiocanal39.online

CULTURA

CULTURA: Conexão Caiçara traz boa música, alegria e muito arrasta pé para Caraguá

Publicado

em

Reserve a agenda, pois o próximo domingo (27/05) será de muita música e dança na Praça Tom Ferreira. O “Conexão Caiçara – Forró” será das 17h30 às 22h e promete reunir os amantes do ritmo.

O evento, realizado pela Prefeitura de Caraguatatuba, por meio da Secretaria de Turismo, vem seguindo a proposta de valorização dos músicos locais e promoção da cultura e diversidade.

O arrasta pé dos forrozeiros será garantido pelas bandas Quinteto Praiano, que abre os trabalhos às 17h30, seguidos da Banda Saquaritá, às 18h30. A Tribo Caiçara irá animar o início da noite, a partir das 20h. O encerramento fica por conta da Banda Revolusom, que traz um repertório eclético a partir das 21h30.

De acordo com o secretário de Turismo, Cristian Bota, todas as pessoas tem a oportunidade de apresentar seus projetos musicais e a gestão está cada vez mais aberta, oferecendo o suporte e apoio necessário. “O prefeito Aguilar Junior tem um modelo de gestão participativo, onde o poder público e a população caminham juntos, buscando o melhor para a cidade. Apoiar o artista local, seja o músico ou o artesão, também tem sido uma de nossas prioridades”, disse o secretário.

(Mayara Peixoto, Jornalista / Foto: Luís Gava, PMC)

Continue Lendo

CULTURA

CULTURA: Composição do século 18 homenageia Nossa Senhora no Santuário Nacional

Publicado

em

(Foto: Thiago Leon / Santuário Nacional)

Coro Luther King executa obra vocal de Bach (Texto: Matheus Andrade / Foto: Thiago Leon – Santuário Nacional)

Uma das principais obras do compositor e multi-instrumentista alemão Johann Sebastian Bach, intitulada “Magnificat”, será apresentada no interior da Basílica de Nossa Senhora Aparecida, no próximo sábado (19).

O famoso cântico mariano, transcrito do Evangelho de Lucas, será executado na composição vocal de Bach pelo Coro Luther King, da cidade São Paulo. A apresentação terá início às 19h30, no espaço do Coral da Basílica, localizado próximo ao Nicho da Imagem de Nossa Senhora.

As doze partes da música serão executadas sob a regência do maestro Martinho Galati, fundador do conjunto.

O Coro Luther King nasceu em 1970 e desenvolve trabalhos sociais através da música, difundindo o Canto Coral por todo o país e incentivando valores relacionados à paz.

A participação no evento é gratuita e não necessita de prévia inscrição.

Em virtude da apresentação, extraordinariamente nesta data não haverá a missa das 20h no Santuário.

Continue Lendo

CULTURA

CULTURA: Museu Municipal de SJC é novo espaço público para as artes

Publicado

em

Cerca de 350 pessoas acompanharam a abertura e visitaram a exposição (Foto: Paulo Amaral, FCCR)

Com a abertura da exposição de longa duração ‘Arte Viva’, ocorrida na noite da última terça-feira (15), o Museu Municipal de São José dos Campos, sob gestão da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, passou a ser, de fato, um novo espaço público do município destinado às exposições artísticas e atividades voltadas à arte. Cerca de 350 pessoas, entre artistas, representantes de instituições culturais e autoridades acompanharam a abertura e visitaram a exposição.

(Foto: Paulo Amaral, FCCR)

A mostra reúne cerca de 70 trabalhos, a maioria da década de 1960, do próprio acervo do museu e de coleções particulares. Em especial, do período da Escola de Belas Artes e do Ateliê Livre de Pintura, duas iniciativas que marcaram a história da arte no município. São pinturas, desenhos e escultura de 41 artistas, além de desenhos, esboços originais, documentos, jornais, catálogos, convites e recibos de premiações.

Entre os artistas que têm seus trabalhos expostos estão Tatiana Blass, Tereza Nazar, Mônica Nador, Régis Machado, Maria Bonomi, Alex Flemming, Maria Aparecida Ferigoli, Iracy Puccini, Tuneu, Edith Reinhart, Décio Soncini, Johann Gutlich, Nelson Quaresma, Luigi Zanotto, Claudionor Itacarambi, Luiz Irene Galvão, Sósthenes, Swoboda e outros.

A exposição também faz uma homenagem aos dois principais responsáveis por este momento artístico vivido em São José, os artistas plásticos Johann Gütlich, professor gestor da Escola de Belas Artes e reconhecido internacionalmente, e Estevão Nador, coordenador do Ateliê Livre de Pintura e adepto ao movimento concretista.

Resgate histórico

Para o artista plástico Marcos Ramis, de São José dos Campos, ter um espaço como o Museu Municipal é muito importante para a classe artística joseense. “A cidade merecia um espaço específico para a arte”. Sobre a exposição, Marcos ressaltou que, além da beleza das obras, “a exposição conseguiu mostrar um resgate histórico dos artistas e da própria cidade”.

“Tornar o Museu Municipal um espaço para atividades artísticas é essencial e significa uma mudança de paradigma do pensamento cultural da cidade, pois uma nova ressignificação para o espaço, onde já funcionou uma Câmara Municipal”, enfatizou o ator Vander Palma, do Teatro D’Aldeia. “Estou orgulhoso por termos um espaço desse na cidade e quero voltar à exposição para poder ver com calma algumas obras, que considero muito instigantes”, salientou.

A folclorista Angela Savastano, aluna da primeira turma da Escola de Belas Artes, também estava na abertura da exposição e era uma das mais entusiasmadas ao relatar fatos da época. “Johann Gütlich foi meu professor e era um profissional e uma pessoa maravilhosa e marcante. Poder ver suas obras expostas aqui é motivo de muito orgulho para todos nós”, enfatizou.

Curadoria e Expografia

A exposição ‘Arte Viva’ tem curadoria de Pitiu Bomfin e projeto expográfico de Célia Barros. “Expor o acervo de artes plásticas do Museu Municipal é um acontecimento inédito e importante. É o reconhecimento de um passado glorioso nas artes plásticas da cidade. Mostrar este acervo é resultado do trabalho de inúmeros colaboradores, mas principalmente um compromisso da Fundação Cultural em garantir o direito de acesso ao patrimônio cultural preservado”, explicou Pitiu.

O prédio onde está instalado o Museu Municipal foi construído entre os anos de 1926 e 1927, com projeto arquitetônico do argentino Maurício Erro, e faz parte de uma lista de patrimônios culturais preservados. Para receber a atual exposição e outras mostras, o prédio passou por uma revitalização e adequações específicas. O espaço possui ainda um auditório com 120 lugares, onde serão realizados os cursos e outras atividades culturais.

Setor Educativo

A equipe do museu também foi reestruturada e hoje conta com um Setor Educativo bilíngue, preparado para receber grupos escolares. As visitas em grupos devem ser agendadas junto a este setor, pelos telefones 3921-7587 ou pelo e-mail educativomm@fccr.sp.gov.br A exposição poderá ser visitada de terça a sexta, das 9h às 18h, e aos sábados das 9h às 13h, com entrada gratuita.

Museu Municipal de São José dos Campos

Praça Afonso Pena, 29 – Centro

(12) 3921-7587

(Fonte: Site oficial de SJC)

Continue Lendo

Em Alta

Hospedado por ServerPro