Conecte-se agora
acesse vila rica

CULTURA

CARAGUÁ: “Filhas da Dança” é ouro no 21º Litoral Dance Festival

Publicado

em

CARAGUÁ: "Filhas da Dança" é ouro no 21º Litoral Dance Festival

Doze bailarinas da Cia Filhas da Dança de Caraguatatuba, dirigidas pela coreógrafa e diretora, Evelin Sabará, deixaram os jurados de queixo caído às 22h da última sexta-feira (25) durante o 21º Litoral Dance Festival.

Com a coreografia “Compassos”, no conjunto misto. Toda a obra foi pensada com muita consciência crítica e apresentada no Ginásio do Tebar Praia Clube.

O grupo, que conta com o apoio da Prefeitura de Caraguatatuba, por meio da Secretaria de Esportes,  segue agora ainda mais motivado com foco em outro grande desafio.

Além deste troféu de ouro, a Cia Filhas da Dança de Caraguatatuba já havia garantido sua participação na competição do II Edicion do Super Star Dance, Conjunto Interamericano de Dança e irá representar o Estado de São Paulo entre os dias 29 e 30 de outubro no México.

“Nossa coreografia retrata um pouco da realidade humana, as preocupações do dia a dia, o desejo de conquistas sem olhar aquém; que faz com que muitos se esqueçam de que as pessoas possuem sentimentos e desejos.

Claro que nem todos agem desta forma, mas passam por uma luta constante para permanecer de pé. Paralelo a isso, também tentam erguer e estimular pessoas que já não acreditam em uma sociedade justa. Alguns são fortes e conseguem reerguer-se, mas outros só acreditam no seu ego”, avalia a diretora.

Ao final, as dançarinas conseguem, em meio a um jogo corporal cheio de compasso, deixar claro que todos somos iguais, independente de cor, crença ou classe social. “Deixaremos este mundo sem levar nada, apenas ficará memórias do que construímos por meio da coisa mais preciosa que temos: o nosso nome”, afirma Evellin.

A aluna, Karen Barroso, uma das dançarinas da coreografia vencedora, falou sobre o orgulho em fazer parte desta conquista e sobre os desafios que enfrentaram.

“Ensaiávamos três dias por semana e tivemos apenas um mês entre a preparação e treino para o Festival. Finalmente o dia chegou e a adrenalina e expectativa por fazer um bom trabalho em palco estava grande. Mas, graças a Deus, deu tudo certo”, fala com entusiasmo a bailarina.

Karen destaca sua gratidão à coreógrafa, Eveliin, aos pais e a toda produção.

“Somos gratas a nossa coreógrafa Carolin Evelin por sempre acreditar e investir em nós e por não desistir de nós. Um bailarino só é bom quando o coreógrafo faz por amor e com amor. Nosso muito obrigada por tudo que faz por nós, não poderíamos deixar de agradecer também a Vânia que sempre nos encoraja, apoia e ajuda em todo tempo”, destaca.

O trabalho vencedor teve a participação das bailarinas Ana Júlia Evangelista, Alana de Moura, Arlete Gonçalves, Gabriela Odorizzi, Geovana dos Santos, Joana Silva Prates, Karen Barroso, Letícia Amaral, Natália Stillano, Nathália da Costa, Rayane Carvalho e Rayane Rodrigues. Assistente Vania Buzatto e direção de Evelin Sabará.

(Texto e Foto: Talita Fernanda, PMC)

CULTURA

TEATRO: São José dos Campos assiste estreia de “Uma História Sobre Nós”

Publicado

em

Peça debate as pluralidades da maternidade contemporânea. Grupo de mulheres artistas de São José dos Campos estreia peça “Uma História Sobre Nós” no Teatro Colinas no dia 23 de maio

Realizada pela Cia. de Teatro A Blau Quer Falar, a peça “Uma História sobre Nós” reflete sobre os desafios, anseios e pluralidades da maternidade. Composto por mães-artistas, ou artistas-mães, o grupo teatral aborda a partir de uma narrativa ficcional a realidade do ser mulher mãe nos dias atuais através de uma viagem histórica e contemporânea da vivência materna. A peça tem estreia no Teatro Colinas no dia 23 de maio e segue apresentações até o dia 30 de junho nos espaços CET – Centro de Estudos Teatrais, CAC Walmor Chagas e Teatro d’Aldeia, em São José dos Campos.

A partir da narrativa de um Arlechin que viaja no tempo e passa por lugares e momentos em que leis dominavam o corpo feminino, “Uma História Sobre Nós” traz diversos elementos que compõe a maternidade, como parto, aleitamento, rupturas, sexualidade, perdas e lutos.

Fotos: Divulgação

Na trama, um grupo de mulheres mães luta para recuperar o protagonismo, desafiar as convenções e corrigir os nós deste enredo histórico antiquado. A diretora Adriana Marques monta um mosaico composto pelo depoimento real das atrizes do elenco, que dão um caráter documental ao projeto, pela narrativa de cenas cotidianas e por momentos históricos, onde se revelam situações de imperialismo machista que colocaram a mulher em situação de extrema submissão.
Na produção se reúnem as atrizes Ana Claudia Prates, Daniella Peneluppi, Deborah Andrade e Marcela Puppio, que interpretam texto de Flora Gussonato, em colaboração com a Cia. de Teatro A Blau Quer Falar. Para completar a equipe repleta de força feminina estão a produtora Marcella Arnulf, a iluminadora Camila Andrade, a musicista e preparadora vocal Ligia Kamada, a cenógrafa e figurinista Letícia Regina, a técnica de som Sabrina Alvez e a preparadora corporal Giulia Scarpa. O projeto conta ainda com patrocínio da ABACE – Associação Buriti de Arte Cultura e Esporte, ONG do ator Fábio Porchat.

“O espetáculo ‘Uma História Sobre Nós’ apresenta um mosaico de cenas que nos leva a ‘tirar o véu’ da fantasia do ‘ser mãe sacralizado’, e procura mostrar uma maternidade mais consciente, em que vemos além do amor incondicional também as inseguranças, medos e dificuldades encontradas”, relata a diretora Adriana Marques.

A multiplicidade da mulher que carrega consigo ser mãe, profissional, amante, entre tantas outras “funções” é, assim, tema e gatilho para as tantas questões que o universo materno carrega em si.

Os relatos dados pela dramaturgia e pela construção do projeto abrem diálogo para as emoções conflitantes que geralmente não são vistas ou reconhecidas à parte do universo materno. “Uma História Sobre Nós” demonstra e instiga a capacidade da mulher em lidar com os diferentes caminhos e aspectos da maternidade, se multiplicando através de um palco e muitas vozes.

SERVIÇO:

23 de maio, às 20h

Teatro Colinas

Shopping Colinas

Av. São João, 2200
Jardim das Colinas, São José dos Campos

1 de junho às 21h e 2 de junho, às 20h
CET – Centro de Estudos Teatrais
Parque da Cidade Roberto Burle Marx

Av. Olivo Gomes, 100

Santana, São José dos Campos

08 e 09 de junho, às 20h
CAC Walmor Chagas

R. Netuno, 41

Jardim da Granja, São José dos Campos

29 e 30 de junho, às 20h
Teatro d’Aldeia

Av. Lisboa, 85

Jardim Augusta, São José dos Campos

Compra de ingressos: clique aqui

Redes Sociais:
Instagram
Facebook

Contato para mais informações: (12) 98135-5178

Classificação: 14 anos

Apoios: Jenipano; Cão Design!; Teatro d’Aldeia; Racco; Visão Ótica.

Patrocínio: ABACE – Associação Buriti Arte Cultura e Esporte

FICHA TÉCNICA:

Elenco: Ana Claudia Prates, Daniella Peneluppi, Deborah Andrade e Marcela Puppio

Direção: Adriana Marques

Texto: Flora Gussonato, em colaboração com a Cia. de Teatro A Blau Quer Falar

Produtora: Marcella Arnulf

Criação das projeções: Clareia Filmes

Iluminadora: Camila Andrade

Técnica de som: Sabrina Alves

Preparadora vocal: Ligia Kamada

Cenógrafa e figurinista: Letícia Regina

Preparadora corporal: Giulia Scarpa

(Revoada Assessoria & Comunicação – Maiara Tissi / Christal Araújo )

Continue Lendo

CULTURA

MÚSICA INSTRUMENTAL: Grande Banda do Sertão lança seu 1º álbum em São Luiz do Paraitinga

Publicado

em

Foto: Igor Escanler

Lançamento do primeiro CD da Grande Banda do Sertão – SL Paraitinga. Projeto conta com apoio do ProAC, programa da Secretaria da Cultura e Economia Criativa – Governo do Estado de São Paulo (edital 23/2018)

A Grande Banda do Sertão é uma “big band” que apresenta um repertório voltado para a música instrumental, com um grande diferencial que é a proposta de trabalhar com músicas regionais autorais e de compositores de São Luiz do Paraitinga. Dentro de uma roupagem moderna e contemporânea, com arranjos marcados por elementos que preservam a tradição, tem como diferencial o diálogo com a sonoridade da MPB atual, atingindo assim públicos das mais variadas idades e gostos musicais.

Formada por 15 instrumentistas locais que há anos participam ativamente da vida cultural da cidade; o primeiro álbum da Grande Banda do Sertão conta com apoio do ProAC, cujo projeto destaca o intuito principal em fortalecer e enriquecer a identidade cultural e musical de São Luiz do Paraitinga, além de contribuir para a construção de uma memória cultural da cidade no que tange a música popular instrumental, colaborando, inclusive, para a valorização desta importante vertente do cenário cultural local, já que a cidade mantém uma secular tradição em bandas musicais.

As apresentações de lançamento do CD “Grande Banda do Sertão” serão realizadas entre os meses de junho e julho de 2019, em seis cidades do Vale do Paraíba e Litoral Norte:

08/06, na Festa do Divino Espírito Santo, em São Luiz do Paraitinga;

22/06, em Lagoinha;

23/06, em Natividade da Serra;

28/06, no Festival de Inverno, em Cunha;

30/06, na Festa de São Pedro Pescador, em Ubatuba;

06/07, na Festa de São Pedro, em Catuçaba (Distrito de São Luiz do Paraitinga).

(Darly Gonçalves, Assessoria de Comunicação)

Continue Lendo

CULTURA

CULTURA: 1° Campeonato de Bandas e Fanfarras de São Luiz do Paraitinga

Publicado

em

(divulgação)

Dia 19 de maio, domingo, a partir das 9h, no centro da cidade, a Fanfarra Monsenhor Ignácio Gioia, FAMIG, promoverá o 1° Campeonato de Bandas e Fanfarras de São Luiz do Paraitinga, durante todo o dia 19 de maio, no centro histórico da cidade. Desfilarão pelo entorno da Praça Dr. Oswaldo Cruz cerca de 20 bandas e fanfarras de diversas cidades de São Paulo e também de outros Estados, que participarão de uma acirrada competição apresentando repertórios e estilos musicais variados.

Sendo uma das fanfarras mais respeitadas e premiadas do Estado, a FAMIG conquistou, ao longo de três décadas, um enorme prestígio, inclusive, para a realização desse grande evento, que, além de ser inédito no município, foi aprovado pela Secretaria da Cultura e Economia Criativa, órgão do Governo de São Paulo, por meio do edital ProAC 23/2018 (fomento e difusão de projetos coordenados por bandas e fanfarras estaduais), e conta com apoio da Prefeitura Municipal da Estância Turística de São Luiz do Paraitinga e da Associação Comercial e Industrial da cidade. Ultrapassando o caráter competitivo, com intuito de promover uma troca de experiências, maior divulgação e aprimoramento do saber artístico, no dia anterior ao campeonato os(as) integrantes dessa fanfarra poderão participar de oficinas com profissionais de outros grupos e, em datas a definir, a FAMIG ainda fará uma pequena circulação pelo Vale do Paraíba, levando apresentações aos municípios de Lagoinha, Natividade da Serra, Tremembé e na cidade natal, São Luiz do Paraitinga, abrilhantando alguma das festividades locais.

(Divulgação)

Sobre a FAMIG

A Fanfarra Monsenhor Ignácio Gióia (FAMIG) foi fundada no dia 8 de maio de 1987 por idealização do professor José Roberto Corrêa e de Flávio Soares Ribeiro, em São Luiz do Paraitinga, e decretada Órgão de Utilidade Pública Municipal sob a Lei n° 698, de 11 de Junho de 1992. É reconhecida pelas dezenas de vitórias em campeonatos, tais como: Campeã nas cidades de Serra Azul, Ubatuba, São José dos Campos, Aparecida, Cachoeira Paulista, Caraguatatuba, Itaquera, Pindamonhangaba, Santa Cruz das Palmeiras, dentre outras; Bi-Campeã nas cidades de Guarulhos, Barra do Piraí – RJ, Monte Mor, Vila Santa Isabel, dentre outras; Tri-Campeã nas cidades de Taubaté, Itaquaquecetuba, Santa Isabel, Vila Prudente, Jacareí, Arujá, dentre outras; Penta Campeã na cidade de Francisco Morato; Enea-Campeão na cidade de Caieiras; e Tri-Campeã Brasileira. Entre inúmeras apresentações e festivais, foi prestigiada em eventos pelos Ex-Governadores do Estado Antônio Fleury Filho, Mario Covas, Alberto Goldman e Geraldo Alckimin, e pelo Ex-Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso. Em 2010, teve sua sede totalmente destruída pela enchente que invadiu a cidade e causou enorme destruição, perdendo muitos instrumentos e uniformes, mas hoje, felizmente, encontra-se reestabelecida. E, além desse histórico triunfante, a FAMIG também presta um importante serviço para a comunidade local, pois, há anos, oferece aulas de teoria e prática musical, gratuitamente, a crianças, jovens e adultos luizenses.

(Texto de Darly Gonçalves)

Continue Lendo

Em Alta

Hospedado por ServerPro