GUARÁ PROMOVE ENCONTRO DE PROFISSIONAIS PARA FALAR SOBRE MORTALIDADE MATERNA

GUARÁ PROMOVE ENCONTRO DE PROFISSIONAIS PARA FALAR SOBRE MORTALIDADE MATERNA

Para comemorar o Dia Internacional Pela Luta da Saúde da Mulher e Dia Nacional da Redução da Mortalidade Materna, a Secretaria de Saúde da Estância Turística de Guaratinguetá promoveu um encontro dos profissionais da área, inclusive pertencentes ao quadro da Santa Casa local, com o médico obstetra Matheus Galhardo.
O evento serviu para uma interessante troca de informações e conhecimentos técnicos e constou de orientações a respeito das experiências profissionais vividas pelo especialista, o qual reforçou a importância de todos se envolverem no mais completo atendimento às parturientes, não abrindo mão de lhes passar - inclusive - o direito de terem um acompanhante durante todo o processo de pré-parto e o atendimento, quando for o caso, de um anestesista. Isso, mesmo em se considerando o parto normal.
Aliás, doutor Galhardo foi muito incisivo a respeito do excessivo número de partos cesáreos praticados no Brasil, contariando todas as estatísticas focadas na prática e incentivo da opção pelo parto normal.
Em meio à palestra, muito bem estruturada e de fácil compreensão, Galhardo orientou a todos sobre a importância de serem feitos todos os registros no prontuário da paciente. É por este documento que se pode tomar a melhor decisão, em casos de emergência, e - ainda - e obter a linha de procedimentos adotados pelo profissional durante o atendimento.
Apesar de muitos acreditarem ser o fenômeno da eclampsia (convulsão provocada pela elevação da pressão arterial) o maior causador de óbitos maternos, o médico palestrante destacou a hemorragia pós parto como a principal causa, chegando a quase 25% dos casos de perda da vida envolvendo mulheres que deram à luz. O profissional que estiver em acompanhamento do parto deve cuidar para não se perder tempo por conta de procedimentos possíveis de serem executados, mas, em muitos casos, que acontecem tardiamente.
GUARÁ PROMOVE ENCONTRO DE PROFISSIONAIS PARA FALAR SOBRE MORTALIDADE MATERNADr. Matheus Galhardo (Foto: Marcos IVan, Canal39)

Evitar a dor, com a assistência de um profissional anestesista, também é direito pleno da mulher prestes a ser mãe. Segundo doutor Matheus, em muitos casos isso se torna difícil, haja vista existir, no hospital, apenas um anestesista para o atendimento a diversos casos ao mesmo tempo.
Reforçou a necessidade de um pré-natal bem assistido e assumido, os cuidados com a alimentação e cuidados pessoais, programação adequada para a internação e o trabalho de parto se iniciar dentro do hospital, evitando-se ocorrências em meio ao caminho até o local de atendimento ou, em grande parte dos casos, na rua, onde não há a mínima condição de ambiente dotado de assepsia.
“Um trabalho de redução das causas da mortalidade materna é muito importante. A grande maioria das causas é possível de se evitar.”, destacou Galhardo, acrescentando que um dos indicadores da qualidade de vida das mulheres é o índice de mortalidade materna, um indicador da saúde da mulher.
Segundo doutor Matheus, estatísticas comprovam que - em países desenvolvidos - a taxa de mortalidade materna é inferior a 5% para cada cem mil nascimentos vivos. Com dados do sistema de controle do SUS, atualizados até 2015, o Brasil apresenta um preocupante número de 62 casos por cem mil bebês nascidos vivos. O Brasil tem desempenho pior do que Bolívia e Honduras, países menos desenvolvidos, em comparação com nosso país.
O médico elogiou o encontro, uma forma de se promover a integração interdisciplinar das áreas, buscando procedimentos padronizados e rápidos. “Talvez, uma parcela de responsabilidade maior pelas perdas seria do Estado, o qual poderia promover treinamentos e formação melhores para os profissionais, destinando maior verba para a área de Saúde.
GUARÁ PROMOVE ENCONTRO DE PROFISSIONAIS PARA FALAR SOBRE MORTALIDADE MATERNASecretária de Saúde, Maristela Siqueira Macedo de Paula Santos (Foto: Marcos Ivan, Canal39)

Maristela Siqueira Macedo de Paula Santos, atual secretária de Saúde de Guaratinguetá, após a fala do doutor Matheus Galhardo, disse dos cuidados em andamento para revisão e atualização dos protocolos de atendimento às mulheres em período gravídico, com planejamento de reciclagem técnica para toda a equipe.
Informou, também, as ações da Santa Casa para resgate de recursos que estavam paralizados e, com isso, retoma o foco para a efetiva colocação em funcionamento do Centro de Parto Normal da Rede Cegonha, o qual constará de cinco quartos denominados “PPP” (pré-parto, parto e puerpério), todos com tecnologia moderna e equipamentos para uso das mulheres em início do trabalho de parto, inclusive banheiros, a bola para exercícios que facilitem a dilatação, cama especial, dentre outros detalhes. Haverá, ainda, acomodação para um acompanhante, direito garantido a todas as mulheres.

GUARÁ PROMOVE ENCONTRO DE PROFISSIONAIS PARA FALAR SOBRE MORTALIDADE MATERNA“Nosso município terá um Centro de Parto Normal totalmente adequado à Rede Cegonha”, destacou a secretária de Saúde, a qual informou estarem em andamento os trabalhos para a instalação do Pronto Socorro Materno Infantil, junto à Maternidade. “Depois, ficará faltando a atualização do setor de Pré Natal a criaça do Pré Natal de Alto risco, o qual não temos”, disse Maristela, destacando que a referência atual para esse tipo de atendimento ainda é Taubaté e completando ser inadmissível uma cidade com 120 mil habitantes não ter um setor de atendimento Pré Natal de Alto Risco.

(Texto e fotos: Marcos Ivan / Direção: Edna Maischberger)

Doutora Maristela encerrou sua fala destacando ser muito triste, na atualidade, a perda de mulheres por conta de problemas pós parto.

 

 

Olá, deixe seu comentário para GUARÁ PROMOVE ENCONTRO DE PROFISSIONAIS PARA FALAR SOBRE MORTALIDADE MATERNA

Enviando Comentário Fechar :/